Usamos cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Torcedor do São Paulo morto após jogo foi vítima de tiros de arma de fogo

Rafael possuía deficiência auditiva e integrava a ala inclusiva "Surdos e Mudos tricolores" da torcida organizada do time paulista


Por Leticia Viganó Publicado 26/09/2023
Torcedor do São Paulo morto após jogo foi vítima de tiros de arma de fogo
Foto: Reprodução/ Redes sociais

O torcedor do São Paulo, de 32 anos, que morreu neste domingo (24) durante as comemorações pelo título da Copa do Brasil no entorno do estádio Cícero Pompeu de Toledo, no Morumbi, foi vítima de disparos de arma de fogo, de acordo com o atestado de óbito da vítima, que foi divulgado pela família nesta terça-feira (26).

De acordo com informações da polícia, a vítima identificada como Rafael Garcia foi encontrado com um ferimento na cabeça durante um confronto entre torcedores do São Paulo e a Polícia Militar (PM) após o final da partida entre o clube paulista e o Flamengo.

Os policiais teriam começado a agredir os torcedores durante a confusão e não teriam deixado ninguém prestar socorro ao Rafael, segundo relato de testemunhas. Rafael possuía deficiência auditiva e integrava a ala inclusiva “Surdos e Mudos tricolores” da torcida organizada do time paulista.

O corpo do torcedor foi velado e enterrado nesta terça-feira (26) no Cemitério de Itapevi, na Grande SP. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva – DRADE e deve ser investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirma que a Polícia Militar estabeleceu efetivo para garantir a segurança de torcedores, frequentadores e moradores da região do Morumbi, durante o jogo da final da Copa do Brasil, com apoio de batalhão e cavalaria.

A pasta informa que um tumulto foi provocado por torcedores que queriam invadir uma área restrita. Ao serem impedidos de passar pelos PMs, os torcedores começaram a jogar garrafas na direção dos policiais, além de pedras e fogos de artifício. Oito policiais ficaram feridos no confronto.