Usamos cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Regina Duarte incentiva marcar lojas petistas, em tática usada pelo nazismo

Alguns internautas apontaram semelhanças entre o pedido e o boicote a judeus durante o regime nazista contra os israelitas, na Alemanha


Por Folhapress Publicado 14/11/2022
Regina Duarte incentiva marcar lojas petistas, em tática usada pelo nazismo
Foto: Reprodução/redes sociais

Regina Duarte incentivou marcar lojas petistas

A atriz, 75, divulgou nas redes sociais um pedido para que os eleitores do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), usem um adesivo com a estrela do PT na porta dos seus respectivos comércios.


A atriz e ex-secretária de Cultura do governo Jair Bolsonaro (PL), no entanto, foi duramente criticada por conta da publicação.

Alguns internautas apontaram semelhanças entre o pedido e o boicote a judeus durante o regime nazista contra os israelitas, na Alemanha.


“Nazista”, comentou a atriz Alessandra Maestrini.

“O que é isso, Regina Duarte? Ideia no estilo nazista?

Você apoia a separação de pessoas por ideologia política?”, perguntou um internauta.

“Que atitude nazista”, escreveu outro.


Em 1 de abril de 1933, como uma primeira ação orquestrada do regime, os nazistas determinaram que os “alemães puros” não deveriam comprar em estabelecimentos comerciais identificados como sendo de propriedade de judeus.

A regra também afetava prestadores de serviços de saúde e profissionais do Direito.


Regina Duarte incentivou marcar lojas petistas


No fim do mês passado, a ex-secretária de cultura do governo Bolsonaro ouviu gritos de ordem contra o presidente ao deixar um musical, em São Paulo, de acordo com vídeos publicados nas redes sociais.


Nas imagens, a atriz aparece sorrindo e ignorando as pessoas ao seu redor, que gritam “Fora, Bolsonaro”, “Fora, Genocida” e “Fora, Fascista”.


Em junho de 2020, Regina foi exonerada do posto de secretária especial da Cultura.

Na época, Bolsonaro afirmou que Regina estava com saudade da família e que a mudança seria para o “bem” dela, em respeito ao “passado” da atriz.

✅ Quer receber mais conteúdo? Clique aqui e siga o Canal eLimeira Notícias no WhatsApp.