Usamos cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Catar faz abertura pregando inclusão e diversidade

A festa apelou à memória afetiva de torcedores, com mascotes de todas as Copas e medley com os principais hits, incluindo "Waka Waka", sucesso de Shakira em 2010


Por Folhapress Publicado 20/11/2022
Catar faz abertura pregando inclusão e diversidade
Cerimonia de abertura da Copa antes de partida entre Catar x Equador, válida pela primeira rodada do grupo A da fase de grupos da Copa do Mundo, realizada no Estádio Al Bayt em Al-Khor, Catar. (Foto: Marcelo Machado de Melo /Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 2296051

Agora é oficial. Temos Copa. A cerimônia de abertura realizada no Catar, primeiro país árabe a sediar o Mundial, varreu para baixo do tapete seu histórico de violação dos direitos humanos, pregando valores como inclusão e diversidade em uma cerimônia grandiosa, com direito a narração (presencial) de Morgan Freeman.


Freeman interagiu com o youtuber Ghanim al-Muftah, ativista que nasceu com a rara síndrome de regressão caudal, uma má-formação que afeta o desenvolvimento da parte de baixo do corpo.


Do ponto de vista técnico foi realmente muito superior às recentes aberturas da Copa de 20018, na Rússia, que durou cerca de 15 minutos, ou a da Copa-2014, no Brasil, que teve até coreógrafa chamada em cima da hora.


A festa apelou à memória afetiva de torcedores, com mascotes de todas as Copas e medley com os principais hits, incluindo “Waka Waka”, sucesso de Shakira em 2010, e “The Cup of Life”, com Ricky Martin, tema do Mundial de 1998.

✅ Quer receber mais conteúdo? Clique aqui e siga o Canal eLimeira Notícias no WhatsApp.